HOME
MGITECH

A pandemia de coronavírus trouxe a adoção do home office ao cotidiano das empresas e seus colaboradores. Com isso, cresceu ainda mais o número de ciberataques, os tornando uma das principais ameaças às organizações e instituições em relação aos dados e sistemas. Para se ter ideia, segundo o estudo Panorama de Ameaças na América Latina, desenvolvido pela Kaspersky, em 2020 os ataques contra companhias superaram os 37,2 milhões.

Outro dado alarmante é que o Brasil está na liderança entre os países que mais receberam ataques corporativos entre janeiro e setembro do ano passado (56%), seguido por México (23%), Colômbia (10%), Peru (4,2%), Chile (3,2%) e Argentina (3,2%).

Nesse cenário em que é cada vez mais necessário se proteger contra inúmeras ameaças cibernéticas, destacamos as principais delas e como os negócios podem proteger os dados que trafegam através dos serviços de gestão remota de dispositivos.

Ciberataques em tempos de home office: as principais ameaças existentes

Com mudanças que precisaram ocorrer rapidamente em função da crise sanitária, os cibercriminosos vêm se aproveitando das falhas de segurança nas organizações. Entre as principais podemos citar os softwares desatualizados, senhas fracas, uso de sistemas não licenciados e os próprios usuários. 

Esses últimos, por desconhecimento ou negligência, acabam caindo em ataques cibernéticos como o phishing. Nele, os criminosos se passam por empresas ou pessoas confiáveis, fazendo com que, através de cliques em e-mails ou links não confiáveis, se abra o acesso aos mais diversos dados. No entanto, além desta ameaça, que está entre as mais utilizadas, podemos citar:

- Vírus: se infiltra em computadores, celulares e outros dispositivos, geralmente por uma ação realizada pelo usuário, como fazer o download de um anexo. Além de infectar o próprio dispositivo, os vírus podem se multiplicar e infectar outros equipamentos;

- Worms: semelhantes aos vírus, mas não dependem de ações dos usuários para infectarem máquinas. Sendo assim, é o próprio software que se espalha pelos equipamentos conectados a uma mesma rede;

- Cavalos de Tróia: também denominados como trojan, se passam por ferramentas úteis e fazem o usuário acessá-las. O objetivo desta ameaça é facilitar a entrada de diversos tipos de ataques;

- Ransomwares: visa impedir o acesso a aplicativos, unidades de armazenamento, sistemas operacionais, documentos e arquivos. Logo após, os cibercriminosos costumam pedir um resgate em criptomoedas ou bitcoins para liberá-lo novamente;

- DDoS: ataque que provoca a queda em sistemas ou gera lentidão aos mesmos. Isso é feito a partir de um botnet, o qual sobrecarrega a aplicação através de um tráfego de acessos muito acima do normal. 

Essas são apenas algumas ciberameaças contra as quais as organizações devem estar protegidas, de forma a evitar uma série de problemas.

Qual é a importância de se proteger corretamente de um ciberataque?

De acordo com uma pesquisa da McAfee, o prejuízo financeiro causado por ciberataques e invasões a sistemas corporativos passou de US$1 trilhão em 2020. Segundo a empresa de segurança digital, este é um número 50% maior quando comparado ao último estudo, feito em 2018, o qual apontou perdas de US$600 milhões. 

No entanto, os problemas não são apenas financeiros. Vale citar que estes vêm acompanhados de outros danos, como os de reputação em função da paralisação de serviços ou vazamento de dados, por exemplo, além da perda da competitividade.

Quais as vantagens na utilização correta de um MDM no caso de um ciberataque?

O Mobile Device Management (MDM) é um serviço que gerencia o status de toda a infraestrutura tecnológica de uma empresa em apenas um lugar, proporcionando a tomada de decisão com agilidade e à distância. Veja alguns benefícios de adotar a solução:

- melhor controle na implantação e atualização de aplicativos, bem como informações para as equipes, com custo reduzido;

- redução de riscos em situações de perda ou roubo de dispositivos através do controle de inventário;

- maior segurança e privacidade a partir de recursos como autenticação e autorização, criptografia de armazenamento e transmissão de dados;

- customização do equipamento móvel e bloqueio de funcionalidades, garantindo que o usuário somente terá acesso aos serviços e aplicativos inerentes à sua atuação profissional, gerando aumento na produtividade;

- agilidade na recuperação de informações e restabelecimento da comunicação das equipes remotas;

- facilidade no acompanhamento de dispositivos ativos, em uso ou não. 

Proteger os sistemas e aplicações de uma empresa contra ciberataques e outras situações de risco é cada vez mais importante, na medida em que o trabalho remoto já se consolidou e as ameaças são sofisticadas e aproveitam-se de brechas de segurança. 

Solução MGITECH de gestão remota de dispositivos

Com este serviço, você pode gerenciar o status de todo o parque tecnológico da sua empresa em um único lugar, tomando decisões com agilidade e rapidez à distância.

Através do MDM, sua empresa contará com diversas possibilidades, como monitoramento dos equipamentos em campo, instalação de aplicativos a distância, configurações de políticas e perfis de restrição,  trazendo segurança e governança para os usuários e sua empresa. além de garantir que os equipamentos sejam utilizados para fins corporativos.

Solicite um orçamento e garanta os benefícios que oferecemos através de nossos serviços.

Para saber mais sobre a solução, acesse a nossa página

Envie um comentário

Topicos

Mantenha-se Atualizado